Buscar
  • Daniel Dias Machado

Biossegurança em Biomedicina Estética



RESUMO: A biossegurança tem muitas normas que visam à diminuição da exposição de trabalhadores a riscos e a contaminação ambiental. O objetivo principal desse estudo de revisão de literatura foi analisar dados sobre a Biossegurança na Biomedicina estética. Baseado nos dados coletados podemos apontar que os principais meios de cuidados para Biossegurança aplicados em clinicas de estéticas são através dos métodos de prevenção de utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs), equipamentos de proteção coletiva (EPCs) e desinfecção e esterilização do ambiente. Em virtude dos fatos mencionados conclui-se que a Biossegurança são de extrema importância para garantir a proteção e relação entre profissional e cliente. A Biossegurança tem o proposito de garantir a proteção e a integridade dos trabalhadores aos riscos de contaminação no ambiente de trabalho. Sendo assim a Biossegurança é indispensáveis para os profissionais da área de Estética.

PALAVRAS-CHAVES: Biossegurança. Biomedicina. Biomedicina Estética.


ABSTRACT: Biosafety has many rules aimed at reducing workers' exposure to risks and environmental contamination. The main objective of this literature review study was to analyze data on Biosafety in Aesthetic Biomedicine. Based on the data collected, we can point out that the main means of care for Biosafety applied in aesthetic clinics are through the methods of preventing the use of personal protective equipment (PPE), collective protection equipment (EPCs) and disinfection and sterilization of the environment. Due to the mentioned facts, it is concluded that Biosafety is extremely important to guarantee the protection and relationship between professional and client. Biosafety has the purpose of guaranteeing the protection and integrity of workers from the risks of contamination in the work environment. Therefore, Biosafety is indispensable for professionals in the area of Aesthetics.


KEYWORDS: Biosafety. Biomedicine. Aesthetic Biomedicine.


Introdução

A Biossegurança é um processo funcional e operacional de fundamental importância em serviços de saúde, não só por abordar medidas de controle de infecções para proteção da equipe de assistência e usuários em saúde, mas por ter um papel fundamental na promoção de consciência sanitária, na comunidade onde atua da importância da preservação do meio ambiente na manipulação e no descarte de resíduos químicos, tóxicos e infectantes e da redução geral de riscos à saúde e acidentes ocupacionais (ANTUNES et al., 2016).


Atualmente a beleza vem em forma de mito como podemos ver nas revistas e televisores os truques utilizados para melhorar a forma, a textura e a cor nos corpos de mulheres que se tornam referência. O que aumenta mais e mais a procura por tratamentos estéticos. Porém, onde se caracteriza “beleza sinônimo de saúde” (GOMES, 2013).


Isso implica no entendimento real de saúde que abrange além de ausência de doença, chegando ao bem estar integral da vida e das relações que os homens estabelecem entre si e com a natureza. No ambiente da estética como em qualquer outro ambiente de diferentes atividades, e até mesmo o comportamento humano dentro da sociedade, estamos todos expostos a acidentes e contaminações provocados por infinitas possibilidades causadas diretamente pela própria natureza e em outros casos pelo homem (GOMES, 2013).


As técnicas manuais com finalidade estética têm como objetivo desobstruir os poros e deixar a pele mais delicada e hidratada. Extraem células mortas, e estimulam sua circulação sanguínea. Agem na eliminação de retenção de liquido devido a sua atuação no sistema linfático. Técnica utilizada também para o emagrecimento (GOMES, 2013).


Há também atualmente muita preocupação com a saúde dos profissionais da área de estética e há uma atenta observação enfocada nas normas de biossegurança. Também é necessário observar no ambiente estético a importância sobre as implicações éticas das ações dos trabalhadores como agentes morais (GOMES, 2013).


O objetivo principal desse estudo de revisão de literatura foi analisar dados sobre a Biossegurança na Biomedicina estética.


Desenvolvimento

Cuidados de Biossegurança Aplicados à Estética

Na estética como a própria atividade proporciona saúde e bem-estar, os cuidados que devem ser tomados estão relacionados em todos os espaços e ambientes. Os cuidados para que os riscos de acidentes sejam diminuídos, começa desde o espaço físico, onde adequação e adaptação de todos os acessórios e equipamentos sejam distribuídas de maneira apropriadas que venham facilitar todas as atividades e locomoção dentro do meio ambiente de trabalho (ANTUNES et al., 2016).


Aos profissionais e responsáveis pela execução das atividades dentro do espaço cabe a todos eles a responsabilidade de estarem capacitados para operarem e manusearem todos os equipamentos, acessórios, etc., e em contra partida a empresa deverá proporcionar também condições em que seus profissionais estejam todos os dias em equilíbrio psicológico e emocional voltado exclusivamente para a execução das atividades com alegria e prazer proporcionando aos clientes a satisfação pela sua excelência no atendimento e tratamento dado a todos (ANTUNES et al., 2016).


Em todos os ambientes de trabalho os profissionais não deverão se disponibilizar em cumprir suas tarefas se não estiverem em seu estado 100% confortáveis, a vigilância deverá está constante em todo o horário de funcionamento do estabelecimento para que o risco de acidentes se mantenha em nível zero (BASSO, 2013).


A segurança no trabalho não está ligada apenas nas questões de acidentes, todo cuidado está ligado diretamente na higienização que deverá estar em todos os ambientes e em todos os objetos, o cuidado desde o uniforme ao ar-condicionado, um cuidado rigoroso com a manipulação de produtos e higienização de todos os equipamentos e acessórios usados, nos estabelecimentos da área da estética a transmissão e infecções de micro-organismos e doenças é grande, como a hepatite B e C o contágio é diretamente pelos equipamentos e a manipulação inadequada do profissional até na esterilização, outras doenças podem ser transmitidas pelos equipamentos como AIDS (HIV) que pode ser contaminado por um instrumento não esterilizado ou até mesmo na contaminação com sangue ou seringas reutilizadas, O TÉTANO é transmitido por alicates e tesouras contaminados, as MICOSES atinge peles e unhas, são transmitidas pelos lençóis descartáveis reutilizados, toalhas, entre outros instrumentos e a ESCARBIOSE (SARNA) ela é transmitida pelos compartilhamentos de EPI’S e materiais que não foi limpos ou descartados, é importante que os profissionais que façam o uso dos EPI’S e EPC’S no atendimento ao cliente para que não cause nenhum dano ao cliente, e levando ao constrangimento (BASSO, 2013).


Com equipamentos e acessórios de vidro deve-se no ato da aquisição dos próprios verificarem a qualidade dos mesmos, pois toda a manipulação se torna mais perigosa e a sua resistência aumentará a segurança, a todos os outros equipamentos deverão passar pela mesma seleção e exigência de qualidade, até mesmo no piso a ser instalados no espaço físico, pois produtos até que venha cair neles compromete o equilíbrio das pessoas e como a segurança obriga a cuidados, os que dos EPI’S especialmente adequados ao ambiente (BASSO, 2013).


A prudência em todas as etapas de instalação do espaço deverá ser praticada, bom como na aquisição de equipamentos, acessórios produtos etc., deverá sempre optar pela qualidade comprovada para que se reflita em benefícios para todos (COSTA et al., 2015).


A contaminação no ambiente da estética é preocupante por esta diretamente ligada á saúde e bem estar dos pacientes, onde a exposição com produtos químicos e reais e uma vez que o paciente não comunicar aos profissionais alguns tipos de alergia ou doença degenerativas que ele tenha, o tratamento será comprometido (COSTA et al., 2015).


A todos os estabelecimentos que trabalhe com a saúde e bem estar das pessoas tendo a ficha de anamnese onde possa conhecer cada paciente e suas limitações e fazer uso de produtos adequados a cada uma delas, a partir daí o estabelecimento devera proporcionar condições de armazenamento que não alterem a qualidade de todos os produtos adquiridos, a esterilização de todos os acessórios deve ser feitas por equipamentos com a eficácia no resultado desejado, a higienização de todos os espaços, moveis e equipamentos, etc., seja feita com garantia sem limitar-se no aspecto financeiro, pois o investimento em todas as áreas até que venha evitar uma contaminação sempre será mais barata do que uma eventual contagio de qualquer nível ou riscos acarretando desde um fechamento temporário ou até a perda da licença para executar a profissão de esteticista (COSTA et al., 2015).


Métodos de prevenção: Utilização de EPI e EPC

Todos os (EPIs) e coletivo (EPCs) são essenciais nos laboratórios de universidades, institutos de pesquisa, centros de diagnósticos de desenvolvimento e controle nas indústrias. Os equipamentos de EPIs e EPCs são fundamentais para evitar um dano maior para a saúde (SCHMIDLIN, 2014).


Por tanto eles ajudam a prevenir contaminações, intoxicações, envenenamentos, queimaduras térmicas e químicas, contagio por agentes biológicos. Porém todos esses acidentes podem ser evitados ou minimizados pelo uso de equipamentos de proteção individual ou coletivos (SCHMIDLIN, 2014).


Equipamento de proteção individual (EPIs)

EPIs e um equipamento de uso individual, não sendo adequado o uso coletivo por questões de segurança e higiene. Dentro da estética temos que usar o EPI Ex: luva jaleco, mascara, entre outros. Ha diversos tipos de EPI, variando, assim a proteção conferida às técnicas (SCHMIDLIN, 2014).


Os EPIs devem ser atônicos, não provocarem alergias, irritações na pele e sempre que possível, serem confortáveis. Proporcionando ao trabalhador melhores condições de trabalho. Todo ambiente de trabalho tem que oferecer condições seguras para os seus trabalhadores em geral. Na estética os EPIs como luva que são utilizadas para proteção, prevenida contaminações como sangue, secreções, entre outros mesmo utilizando a luva não exclui o ato de lavar as mãos (SCHMIDLIN, 2014).


Jaleco protegendo sempre a parte superior do corpo. O jaleco tem que ser de manga cumprida usando sempre fechado sobre as vestimentas nunca usar diretamente sobre o corpo confeccionado em tecido de algodão (mistura de poliéster e algodão é inflamável) (SCHMIDLIN, 2014).


Os jalecos descartáveis devem ser resistentes e impermeáveis e ser trocados a cada atendimento. Mascaras descartável e semifaciais. Calçado fechado e confortável. Os cuidados com EPIs e de muita importância para a sua conservação. Guardar sempre em local seco, arejado, longe da luz, do sol, umidade, mantê-los em boas condições de uso e bem limpos sem danificar (SCHMIDLIN, 2014).


Equipamentos de proteção coletiva (EPCs)

Todos os (EPCs) visam proteger o meio ambiente, a saúde a integridade dos ocupantes de uma determinada área. Diminuindo ou eliminando os riscos provocados pelo manuseio de produtos químicos principalmente tóxicos e inflamáveis. Há vários tipos de EPCs conforme as atividades a ser desenvolvidas (DAMASCENO et al., 2014).


Tipos de EPCs para ambiente estético: ex: extintor, kit de primeiros socorros, sistema de coleta de lixo. “Extintor - Contra incêndios para produtos químicos (extintores PQS de pó) e um de eletricidade (extintor á gás CO2). “Kit de primeiros socorros - É primordial para os primeiros atendimentos em caso de emergência. “Sistema de coleta de lixo -» Existe uma preocupação com o descarte dos resíduos gerados em estabelecimentos de beleza, como o lixo contaminado com fluido orgânico, o lixo comum e o reciclável tudo isso por parte da biossegurança em local de trabalho (DAMASCENO et al., 2014).


Todos esses materiais tem que ser separados e identificados no momento de descarte ex: Substâncias químicas como embalagem vazia de tintas capilares este é risco biológico, resíduo que não apresenta risco biológico, como cabelos, vestuário descartáveis este deve ser jogado em lixo normal sendo separando dos recicláveis (DAMASCENO et al., 2014).


Resíduo perfuro cortante ou escarnificantes como bisturi material utilizado por pedólogo este lixo e recolhido por um serviço especializado da empresa responsável pela coletiva de lixo da cidade, todo material de EPIs e EPCS tem que ser bem cuidados e conservados para um uso adequado, para que o tempo de utilização deste equipamento de proteção (MASTROENI, 2013).


Métodos de Prevenção - Desinfecção e Esterilização

Em 800 a.c já se havia a primeira referencia de desinfetante a cidade de Venezuela foi pioneira em controle sanitário, em 1676 o holandês Anton Van Leevwhoek , inventou o microscópio foi um marco na história da microbiologia e desinfecção (MASTROENI, 2013).


A desinfecção pode ser definida como a redução da maioria ou eliminação dos micro-organismos patogênicos em uma superfície ou objeto tornando-o incapaz de transmitir doenças. E esterilização refere-se a completa eliminação de patógenos, que são agentes biológicos com capacidade de reprodução ou potencial infeccioso (MASTROENI, 2013).


O ambiente de trabalho estético deve estar de acordo com as características de um atendimento em estética. Os materiais e os mobiliários devem estar higienizados e adequados para a execução do trabalho. Até mesmo para que o cliente sinta confiança no estabelecimento e no profissional que irá atendê-lo (MASTROENI, 2013).


Quanto às superfícies fixas, é imprescindível sua limpeza, sendo necessária sua desinfecção somente em casos de respingos de matéria orgânica. Na limpeza do estabelecimento deve ser usado detergente. No processo de desinfecção do ambiente deve ser usado um saneador que elimine 99,9% dos micro-organismos contaminantes de determinada área, por exemplo, cloro. Materiais perfuro cortantes como alicates, pinças e tesouras devem passar por processo de esterilização antes do uso, podendo ser utilizado tanto calor seco, quanto calor úmido para este fim (TEIXEIRA, VALLE, 2013).


O mais eficiente é o calor úmido sendo seu aparelho específico a autoclave que evolve aquecimento da água em uma câmara gerando vapor sobre uma pressão de 15/Ib/pol², o que ocorre em temperatura de aproximadamente 121°C por no mínimo 15 minutos. O tempo é medido após a temperatura de o material envolvido atingir os 121°C. Outros artigos como pentes e escovas também devem ser submetidos ao processo de assepsia (TEIXEIRA, VALLE, 2013).


A higienização das mãos não pode deixar de ser mencionada, visto que as mãos são o principal instrumento utilizado pelas esteticistas. O ato de utilizar água e sabão friccionando-as de forma correta e meticulosa removem micro-organismos, oleosidade, suor e células mortas com como a sujeira que propicia a multiplicação de micro-organismos. Este simples ato constitui o principal meio de prevenção de infecções cruzadas no ambiente estético entre funcionários e pacientes (TEIXEIRA, VALLE, 2013).


É importante a lavagem das mãos: Antes e após cada procedimento realizado, atos e funções fisiológicas, as refeições, o uso de luvas. Deve haver pias em quantidades, condições e higiene adequadas ao ambiente, torneiras acionadas automaticamente ou que possam ser ligadas e desligadas sem o toque direto da pessoa, dispensadores de sabão líquido livres de manipulação e contato direto, papel toalha descartável e protegido por suporte, lixo acionado pelos pés (TEIXEIRA, VALLE, 2013).


Desinfecção e esterilização tornam-se fatores de importância capital no controle de infecções, garantindo condições de segurança aos pacientes e a equipe de profissionais (TEIXEIRA, VALLE, 2013).


Conclusão

Em virtude dos fatos mencionados conclui-se que a Biossegurança é de extrema importância para garantir a proteção e relação entre profissional e cliente.


Com o intuito de se evitar a disseminação e a propagação de doenças devem ser consideradas as medidas de Biossegurança na Biomedicina Estética e suas implicações, compostas por um conjunto de ações que visam à proteção do profissional, sua equipe e seus pacientes.


A Biossegurança tem o proposito de garantir a proteção e a integridade dos trabalhadores aos riscos de contaminação no ambiente de trabalho. Sendo assim a Biossegurança é indispensáveis para os profissionais da área de Estética.


Referências

ANTUNES, H. M. et al. Biossegurança e Ensino de Medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora, (MG). Revista Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 3, p. 335-345, 2016.

BASSO, M. Acidentes ocupacionais com sangue e outros fluídos em

profissionais de saúde. [Dissertação de Mestrado]. São Paulo: Escola de Enfermagem da USP; 2016.

COSTA, M. A. F. et al. Educação em Biossegurança: contribuições pedagógicas para a formação profissional em saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, supl. 1, p. 1741-1750, 2015.

COSTA, M. A. F.; COSTA, M. F. B. Educação e competências em biossegurança. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 38, n. 1, p. 46-50, 2013

DAMASCENO, et al. Acidentes ocupacionais com material biológico: a percepção do profissional acidentado. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 59, n.1, p. 72-77, 2014.

GOMES, L. A. P.; COSTA, E. G. Biossegurança na Estética. Belo Horizonte: UNINCOR, 2013.

MASTROENI, M. F. Biossegurança aplicada a laboratórios de saúde. 2 ed. São Paulo : Editora Atheneu, 2013.

TEIXEIRA, P.; VALLE, S. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2013.

SCHMIDLIN, K. C. S. Biossegurança na Estética: Equipamento de Proteção Individual. Personalité, n° 44, São Paulo, p. 80-101, Janeiro 2014.


20 visualizações0 comentário